Hello Hobart!

09 a 11-03-2020

Aterrei na Tasmânia no dia 9 de Março à noite. Apanhei um autocarro no aeroporto, que me deixou no centro de Hobart, a capital da Tasmânia. Chamou-me a atenção o facto de as ruas estarem desertas. Mas, enfim, eram 23 horas de uma segunda-feira.

No dia seguinte, acordei sobre o cedo (finalmente!) e fui ao encontro do free walking tour que havia reservado. Primeira tarefa do dia: encontrar um café algures no caminho para tomar o pequeno-almoço. Missão quase impossível! Não encontrei nenhum café na rua principal que segui, pelo que lá me aventurei por ruas secundárias e não passei fome. Entretanto, já sentia que estava numa cidade muito diferente de Perth ou Adelaide: frio, poucas pessoas nas ruas e edifícios mais baixos.

O free walking tour foi muito interessante e informativo e passou pela maternidade onde nasceu o actor Errol Flynn. Parece que, na Austrália, se costuma fazer troça de Hobart, dizendo que nenhum famoso é de Hobart. Citando Joacine Katar Moreira: «Isto é mentira!».

Tantos famosos tasmanianos!

Nesse dia, tive um almoço muito hobartiano: comi vieiras panadas a bordo de um barco-restaurante! Hobart é conhecida pelo seu peixe e marisco e há uma série de barcos-restaurante ancorados na marina no centro da cidade, em Sullivan Cove. Yum!

A minha vista durante o meu primeiro almoço em Hobart.

Depois do almoço, segui para o Tasmanian Museum and Art Gallery. Dediquei a maioria do meu tempo às secções sobre artesanato aborígene e a luta pelos direitos dos homossexuais na Tasmânia. Ambas muito interessantes.
Segunda particularidade de Hobart: os horários de funcionamento são ainda mais reduzidos do que nas minhas paragens anteriores. Este museu fecha às 16 horas (ainda fecha mais cedo na época baixa) e as lojas encerram pelas 17 horas!

Atingida a quota de cultura do dia, passeei pelo centro para sentir a cidade e, ao final da tarde, juntei-me a uma das actividades sociais do hostel no qual me instalei: trivia night num café local. Soube-me bem conviver com outros viajantes. Um dos meus companheiros de jogo e hostel já havia estado na Austrália quatro vezes! Claro que aproveitei para lhe perguntar qual o seu local preferido. Respondeu-me que é Airlie Beach, em Queensland, na costa nordeste da Austrália. Nota mental: ir a Airlie Beach! Mal eu sabia o que estava para vir…

Um serão muito bem passado!

No dia seguinte, “madruguei” e fui visitar a única atracção de Hobart que abre antes das 10 horas, o Mawson’s Hut Replica Museum. Muito interessante! Não tinha, à partida, particular interesse pela história da exploração antárctica, mas não podia deixar de lado esta parte tão importante da história e cultura tasmaniana. É que Hobart foi (ainda é) um dos pontos de partida das expedições para a Antártida! Pelos vistos, o aeroporto de Hobart é apelidado de internacional porque tem voos para a Antártida (todos os outros voos são domésticos). Além disso, Hobart está mais perto de Cape Denison, na Antártida (2400 km), do que de Cairns, em Queensland (2900 km)! Agora já entendo estas temperaturas!
O museu é muito informativo e gostei de conhecer a aventura deste grupo de homens que partiu para a Antártida no início do século XX, sem grandes condições (para os padrões actuais) para enfrentar um continente tão inóspito. O museu é uma réplica do impressionante abrigo que estes exploradores construíram em Cape Denison.

A minha paragem seguinte foi a zona de Salamanca Square e Salamanca Place. Tão boa onda! Dei um pulo à Decathlon chique lá do sítio e acabei por comprar uns protectores para passaporte e cartões bancários com tecnologia RFID.
Já tinha visto este tipo de artigos num dos aeroportos internacionais durante a viagem para a Austrália e fiquei intrigada. Segundo o vendedor, um senhor muito simpático e conversador (a supervisora é que parecia não estar a gostar de tanta conversa), em vários países será comum a cópia de dados destes documentos em aeroportos através de scanners sem contacto. Diz ele que tal é comum em países como Espanha, Grécia e… Portugal! Nunca havia ouvido falar de tal coisa e nem costumo ligar muito a estas coisas. Mas, pelo sim, pelo não, lá comprei os protectores, que não me dava jeito nenhum ficar sem passaporte ou ter a minha conta bancária esvaziada durante a viagem.

Na minha querida Salamanca Place.

Depois, segui para o Narryna Heritage Museum. Que bonito! Tenho um fraquinho (fracão!) por casas-museu e artes decorativas, pelo que gostei muito de mergulhar num ambiente íntimo chique do século XIX.

No Narryna Heritage Museum.

Depois do almoço, dediquei-me às lides domésticas e ao estudo dos milhentos folhetos turísticos que havia recolhido. É incrível a quantidade de oferta turística nesta ilha!
Uma das opções mais populares passa por integrar uma excursão de 3 a 5 dias que passa pelos locais mais populares da Tasmânia. Tinha, inicialmente, pensado optar por esta modalidade, mas não me estava a agradar a ideia de passar 5 dias ao ritmo de outras pessoas. Optei por escolher as excursões mais curtas que mais me interessassem. Estarei a ficar anti-social?

Depois de algumas horas passadas dentro de portas, saí ao final da tarde, para assistir ao pôr-do-sol e visitar novamente Sullivan Cove (a marina de Hobart), Salamanca Square e Salamanca Place, as minhas zonas preferidas da cidade.

A zona ribeirinha de Hobart ao anoitecer.

Publicado por Halterofilista

Fiz um ano sabático e ocupei parte do meu tempo livre com uma viagem à Austrália.

2 opiniões sobre “Hello Hobart!

  1. Google translate is giving the the odd laugh, glad you enjoyed your time in Hobart! I have stall at Salamanca Market on Saturdays (but not at the moment) and I sell leather wallets, belts, bags and … RFID passport holders! I sat up when I read that paragraph thinking I may have actually met you – but it doesn’t sound like me, I don’t do the hard sell – perhaps I should 🙂
    Thanks for following my site, I couldn’t get to yours from WordPress phone app but now I have followed you from my PC. Glad I had a look, great stories and images. I’ll be back to read more! Cheers from Tassie.

    Liked by 1 person

    1. Thank you for your nice words, Tone! I use Portuguese idiomatic expressions quite often, I hope the Google translation isn’t too silly 😛 Well, I actually bought the RFID passport holders at Kathmandu. But I did go to Salamanca Market that Saturday (March 14th). So we might have come across each other then 🙂 I absolutely adored Tasmania! And Hobart holds a special place in my heart; I was supposed to stay 3 nights, and ended up staying 9 nights! I had to cut my Australian tour short because of the pandemic, but I am hoping to resume it whenever it makes sense to travel internationally again. In the mean time, I really enjoy your posts and your pictures, as they take me back to really happy times 🙂 Thank you for that! Have a lovely day!

      Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create your website with WordPress.com
Iniciar
%d bloggers like this: