Rottnest Island

20-02-2020

Quando parti para a Austrália, não tinha grandes planos quanto aos locais a visitar. Mas já tinha decidido que iria visitar Rottnest Island, uma ilha que era descrita como paradisíaca no meu guia de viagem. Confere.

Cheguei cedo, pelas 08:30, e a ilha parecia estar ainda a acordar (tal como eu). Entrei no autocarro hop on / hop off que circunda a ilha e saí na segunda paragem, Henrietta Rocks. Era um dos locais recomendados para fazer snorkeling, mas o céu nublado e a temperatura do ar fresca não estavam convidativos. Assim, optei por caminhar ao longo dessa baía (Purpoise Bay) e apreciar a paisagem. Como mais ninguém me seguiu, tive a praia só para mim e soube muito bem.

A bonita Porpoise Bay, em Rottnest Island.

Depois, voltei a entrar no autocarro e saí em Little Salmon Bay, outro dos locais onde era possível praticar snorkeling. Apesar de o céu ainda estar nublado, a temperatura do ar já estava mais agradável e decidi arriscar um mergulho no mar. E fiz muito bem!

Esta foi a segunda vez que pratiquei snorkeling. A primeira foi em Outubro, nas ilhas Gili, na Indonésia, e não fiquei fã. Talvez porque, dessa vez, tenhamos “snorkelado” em alto mar e me fartei de engolir pirolitos. Mas, desta vez, adorei! Era muito fácil aceder aos locais com fauna e flora marítima e a água estava muito calma. Depois, deitei-me na praia (ainda não ao sol) e dormi mais uma das minhas sestas.

Apesar de me estar a saber muito bem estar nesta baía, estava na altura de seguir para a paragem seguinte, para aproveitar ao máximo a ilha. Tinha decidido que queria estar a meio do trajecto circular à volta da ilha pelas 13:30, pelo que apenas iria espreitar Salmon Bay. Mas, quando lá cheguei, o sol brilhava e a paisagem era tão linda, que decidi deixar o alarme do telemóvel de lado e aproveitar. Fiz mais um pouco de snorkeling, passeei à beira-mar e trabalhei para o bronze. Foi mesmo relaxante!

Salmon Bay – merece bem mais do que 15 minutos, certo?

Depois, estava na hora de um pouco de cultura, pelo que saí do autocarro na paragem que dava acesso ao Wadjemup Lighthouse. No caminho para o farol (aguentem pernocas!), cruzei-me finalmente com quokkas, animais marsupiais fofíssimos endémicos desta ilha. São amorosos e muito tranquilos. E parece que ainda por aí um “quokka selfie frenzy“, depois de Rafael Nadal e Roger Federer terem tirado selfies com quokkas por alturas do Australia Open. Aderi, claro.

Chegada ao farol, tive direito a uma visita guiada individual por uma guia voluntária. Já reparei que parece ser prática habitual neste estado que alguns monumentos e serviços de apoio aos turistas sejam geridos por voluntários (geralmente, pessoas mais velhas, possivelmente reformadas). As vistas do topo do farol são muito bonitas.

Quando cheguei à paragem de autocarro para seguir a minha viagem, apercebi-me de que havia deixado uma pequena bolsa no farol. Não continha nada essencial, mas não a quis abandonar. Toca a subir novamente a encosta, entretanto já com temperaturas acima dos 30°C – qual hot yoga, qual quê! Para além do exercício extra, pude voltar a conviver com os queridos quokkas.

Próxima paragem: West End, a extremidade oeste da ilha. Que paisagem selvagem incrível! As águas cristalinas, as falésias recortadas, o vento! E, como bónus, focas (mas muito ao longe)!

Vista do belíssimo West End de Rottnest Island.

Depois, pensei seguir para Geordie Bay, para mais uma sessão de snorkeling, mas como me estava a sentir cansada e também gostava de visitar a povoação, optei por sair sair na última/primeira paragem do autocarro.

Acabei a minha estadia em Rottnest na praia The Basin, com mais uma sessão de snorkeling. A praia é bonita, mas foi aquela de que menos gostei por ser a menos selvagem.

Depois, ala para o ferry, que era o último do dia. É pena não ser possível a quem não fica a dormir na ilha assistir ao pôr-do-sol, que deve ser lindíssimo (deixei esse comentário à empresa dos ferries). Mas tive direito a novo pôr-do-sol na vibrante Fremantle.

Mais um lindíssimo pôr-do-sol sobre o Oceano Índico, em Fremantle.

Publicado por Halterofilista

Fiz um ano sabático e ocupei parte do meu tempo livre com uma viagem à Austrália.

One thought on “Rottnest Island

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create your website with WordPress.com
Iniciar
%d bloggers like this: